Detective maravilhas adopta uma estratégia

 Título: Detective Maravilhas adopta uma estratégia

Autora: Maria do Rosário Pedreira

Ilustrações: Luís Anglin

Editora: Verbo

Ano de Publicação: 2000

N.º de páginas: 156

 

 

Sinopse:

    Ana teve um grande desgosto com a morte do pai. No entanto, aos olhos do Rui, da Maria e do Alexandre, o facto só por si, não justifica que a jovem tenha uma verdadeira crise de nervos sempre que a mãe aparece para a vir buscar. Uma cena particularmente infeliz entre as duas à porta da escola acaba por levar os pequenos detectives a investigar por que motivo um lar pode tornar-se, de um dia para o outro, tão desagradável e a ajudar a Ana a encontrar a paz de que tanto precisa.

 

Maria do Rosário Pedreira

 «Escritora portuguesa, Maria do Rosário Pedreira nasceu em 1959, em Lisboa. Fez os estudos superiores na Universidade Clássica de Lisboa, onde se licenciou, em 1981, em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Franceses e Ingleses. Fez ainda o curso de Língua e Cultura do Instituto de Cultura, em Portugal. Como bolseira do governo italiano, esteve em Perugia a frequentar um curso de Verão, na Universidade. Foi também aluna do Goethe Institut.

    A sua formação académica abriu-lhe as portas do ensino e da tradução. Amante da actividade editorial, coordenou os serviços da Editora Gradiva, foi directora de publicações da Sociedade Portugal-Frankfurt/97 e editou os catálogos das exposições temáticas da Expo'98, entre outros. Em 1998, tornou-se editora da publicação Temas e Debates. 

    Iniciou a sua carreira literária em 1996, escrevendo o seu primeiro livro de poesia A Casa e o Cheiro dos Livros, cuja edição se esgotou de imediato. Seis anos mais tarde, e após a edição de vários títulos em prosa, nomeadamente Alguns Homens e Duas Mulheres e Eu (romance) e outros de literatura infantil, Maria do Rosário Pedreira publica um novo livro de poemas O Canto do Vento nos Ciprestes, cujo merecimento da crítica a vai confirmar entre a plêiade dos novos poetas. 

    A propósito deste seu novo e mais recente livro de poemas que nasce da "experiência de perda" vivenciada num determinado período da vida, a autora considera que deve ser lido de enfiada como se de um pequeno romance se tratasse. Na verdade, as suas afirmações "Canto em memória de um amor" e "O obstáculo inerente a qualquer amor está sempre presente neste romance poético" demonstram que a sequência narrativa criada à volta do mesmo tema estabelece entre os poemas uma unidade difícil de anular e destruir.

    Distinguida com alguns prémios literários, é detentora de uma obra diversificada, em prosa, poesia, ensaio e crónica, constituindo a literatura juvenil - grosso da sua ficção - um veículo de transmissão de valores humanos e culturais. As colecções juvenis Detective Maravilhas e O Clube das Chaves (esta em parceria com Maria Teresa M. González) entraram já no universo ficcional da adolescência portuguesa.»

 Fonte: http://www.wook.pt/authors/detail/id/12060

© 2008 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode